Dê Mazzi, de torcedor a presidente do CAT

Ademir Mazzi, o Dê, sempre foi um aficionado pela CAT. No último dia 14, pulou da torcida para o cargo de presidente do clube. Suas duas missões: participação do time na Copa São Paulo de Juniores, da qual Taquaritinga será uma das sedes, e preparar um elenco para disputar o campeonato da B1. O vice-presidente também é um cateano roxo: Donizete Maine, o Candango.
O ex-presidente Bentinho Previdelli surpreendeu ao retirar seu nome da disputa, o que certamente garantia sua permanência à frente do Leão. Ele alegou motivos pessoais.
O novo presidente assumirá no biênio 2019/2020. Apaixonado pelo Tricolor, Dê Mazzi tem a missão de preparar o time para as disputas da 35.ª Edição da Copa São Paulo já em janeiro próximo, competição que terá Taquaritinga e o Estádio Dr. Adail Nunes da Silva como uma das sedes.

A Copinha 2019, realizada em comemoração ao aniversário de São Paulo, foi a principal razão de Dê Mazzi assumir o papel de dirigente cateano. Ele foi uma das pessoas que trabalharam para trazer o evento para Taquaritinga.
No começo de janeiro, a cidade deve receber três equipes, que juntamente com o Sub 20 do CAT, vão compor um dos grupos iniciais do certame, cuja final está prevista para 25 de janeiro.
A edição deste ano teve como campeã o Flamengo, que venceu o São Paulo por 1 a 0.
Mas a missão de Dê Mazzi vai além. Passada a Copa São Paulo, o desafio será montar uma equipe profissional para as disputas para Série B1. Para isso, já está em busca de patrocínios.
Nesta semana, o novo presidente acompanhou reformas nos vestiários do Taquarão, realizadas pela Prefeitura.

Quase – Em 1998, em razão da boa campanha do CAT, Taquaritinga havia sido escolhida para ser uma das sedes da Copinha do ano seguinte. Porém, o prefeito da época, Sergio Salvagni, preferiu abrir mão em razão da situação financeira que a cidade atravessava.
A Prefeitura tinha que fornecer alojamento e alimentação para as equipes. O diretor-geral do CAT era o argentino Carlos Coria.